Textos

POEMA INÚTIL
Para que repetir o que foi dito!
Se não por mim, por outro.
Não faz sentido aprisionar
Sentimentos em palavras
Que mal se sustentam na carne
Dissolvem-se e somem
Entre dores e felicidades
Distorcidos em resquícios
De frágeis e inconformadas memórias
Que corrói o cérebro
E ficam empoeiradas em papéis
Sem serventia nenhuma
Desperdício literário...
É sempre mais prudente
Não falar do que se sente
Já que é inteiramente intransferível.
Como ensinar o que não se aprende!
Transitório, indomável, indurável.
Para que aprisionar nas palavras
O que é impreservável em vida
Que extinguir-se em morte?
Dom Franklin Mano
Enviado por Dom Franklin Mano em 23/01/2014
Alterado em 24/01/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: jenniferphoon/flickr