Textos

ALUCINAÇÕES
Eu fico relendo as mesmas cartas
Que você não me escreveu
Encenando reencontros
Entre dias que não voltam
E outros que não vêm

Sobrevivo minhas dores de homem
Protegendo sentimentos puros
Que não cabem em anjos
Calma que nos dá o dom
De tocar quase nos outros
Que nem nos toca Deus

Assim, blindado de alucinações
Estigmatizado e míope
Transgredindo gerações
De Botticelli a Modigliani
Além de Manhiça e Carpaneda

Nu, nesse quarto tão escuro
Preservando o que já não existe
Há muito tempo sem você
Eu vou escapando doutra estação
Nesse ritual de fogo e folhas secas.
Dom Franklin Mano
Enviado por Dom Franklin Mano em 18/06/2015
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr