Textos

SEM FILTROS, NEM PUDOR
Eu já não sei o que falar, nem fazer
Mas não vou insistir pra você se lembrar
Nem por isso vou me esquecer
Você vai discordar e mesmo sem querer vai perceber
Que nem sempre respostas sinceras
Amenizam as frustrações desses porquês

Não vá me culpar, nem se absorver
Não vá se trair, nem se arrepender
Sem antes pelo menos entender
Que os quereres e a paixão são selvagens
E não vão nunca viver domesticados em nós como o amor

Não vais se encontrar, fugindo, tramando, ameaçando
Se desconhecendo aos poucos, devorando e se devorando
Roçando, gozando ou não, mas querendo, se desfigurando
Como se existisse mais liberdade, segurança e paz na multidão

Não vais se inocentar, refazendo, encenando, manipulando
Sorrindo outra vez, chorando, e até sangrando
Vendendo ilusões, acreditando, corrompendo, e se subornando
Se mudando, continuando, se especializando em se desumanizar
Dom Franklin Mano
Enviado por Dom Franklin Mano em 28/04/2015
Alterado em 28/04/2015
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: jenniferphoon/flickr