Textos

PAZ PROIBIDA
Os teus lábios são trincheiras
Os teus olhos jogos de azar
Teu sorriso não se cansa
De mim libertar e aprisionar

O teu corpo paz proibida
Desenfreia meu desejo paramilitar
E o impossível não me cansa
Por sua paixão não paro de lutar

Dia e noite pela casa
Em febre e suor
Te vejo dançar
Respiro teu cheiro
Sem conseguir te tocar

Dia e noite pelas ruas
E em cada ato
Sua voz a me chamar
Sigo todos os seus passos
Sem saber se vou chegar...
Dom Franklin Mano
Enviado por Dom Franklin Mano em 28/03/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: jenniferphoon/flickr