Textos

EXTINÇÃO
Assim se fez e se desfaz
Muito a temer
Nada a fazer
Seguir sem rumo
Cedo demais
Nada é pra sempre
Rasos demais
Pra algo profundo

Lembra quando me amava mais que a si mesma?
De como se entregava de todas as maneiras...

Sentimentos se desfazem
Desconstruir
Pois nada é tão forte
Que esteja seguro

A intimidade se desfaz
Pra converter
Algo tão belo, raro e calmo
Em vulgar, comum e sujo

Lembra como eu te amava de todas as maneiras?
De como te livrava das suas incertezas...
Dom Franklin Mano
Enviado por Dom Franklin Mano em 21/06/2015
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr