Meu Diário
01/06/2018 19h42
SANTANNA, O CANTADOR DEIXA AQUELE ABRAÇO PRA VOCÊS...

Santanna - O Cantador

O maior influenciador do seu estilo é o imortal Rei do Baião, Luiz Gonzaga.

Em 1984, veio conhecer Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, de quem se tornou amigo particular. A admiração pelo Rei transformou-se em grande amizade. Participou de vários shows seus, fazendo a abertura e, em seguida, fazendo vocal.

Tornou-se cantor profissional em 1992.

Santanna é um artista nordestino nascido em Juazeiro do Norte - CE, em 29 de fevereiro de 1960, recebido pelas mãos firmes, calosas e carinhosas da parteira Maria Baião. Dizem, que foi aí que se ouviu o seu primeiro aboio.

Santanna, o Cantador, descende de família de artistas e teve, na sua infância, a influência do aboio do vaqueiro nordestino, do canto das lavadeiras, do canto das rezadeiras e, finalmente, do canto dos cantadores violeiros e emboladores.

CONTATO PROFISSIONAL

Site > http://www.santannacantador.com.br/

Facebook > https://www.facebook.com/Santanna-O-Cantador-150191755050794/

Instagram > https://www.instagram.com/santannaocantador/

Telefone Shows > +55 (81) 9 99861783

 

 


Publicado por Dom Franklin Mano em 01/06/2018 às 19h42
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Franklin Emmanuel da Silva Mano e o site www.franklinmano.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
01/06/2018 00h02
JORGE DE ALTINHO DEIXA AQUELA SAUDAÇÃO PRA VOCÊS...

Nascido Jorge Assis de Assunção, na Rua Antonio Carlos Ferreira, 66, bairro de Salgadinho, da histórica e patrimônio mundial Olinda-PE. Filho de Anízio Brasilino de Assunção e Maria Assis de Assunção, batizado na Igreja de São Judas Tadeu, no mesmo bairro, em frente ao Centro de Convenções de Pernambuco.

Seu pai na época era proprietário de um posto de combustível, no bairro da Encruzilhada, em Recife. Decidido à uma vida mais tranqüila, quiçá obra do destino, mudou-se com a família para o município de Altinho, onde passou a negociar com secos e molhados, uma espécie de embrião do ramo de supermercados de hoje.

Em Altinho, o menino Jorge iria passar uma infância típica das crianças de sua idade. Banhos de rios, no Una e Taquara, somente interrompidos com a ida ao Grupo Escolar Professor Francisco Joaquim de Barros Correia. Querido pelos amigos, exercia liderança ao ponto de criar dois times de futebol infantis: o Estrela e o Cruzeiro. O futebol foi e continua sendo uma das paixões de Jorge.

A música sempre o fascinou, ao ponto de copiar suas matérias escolares, ouvindo canções. Chamou sua atenção "Menina Linda", de Renato e seus Blue Caps, sucesso dos Beatles, que por curiosidade resolveu copiar a música inteira no caderno. Nascia involuntariamente seu envolvimento com a música de forma definitiva e irrevogável. O tempo e os fatos iriam comprovar.

Quase diariamente sua turma tinha por hábito reunir-se sob os coqueiros do colégio para acompanhar Zé Maria, filho de um grande seresteiro que residia em frente aquele local. Certo dia, todos queriam ouvir o sucesso mundial "Menina Linda", mas ninguém conhecia a música de cor, foi então que surgiu Jorge, com a letra escrita no caderno, um hábito que conservava nos tempos do Barros Correia. Menino tímido, relutou em cantar sozinho. Queriam apreciar sua voz. Cedeu à insistência e acabou cantando. Foi o primeiro aplauso que recebia em sua vida. Uma tarde inesquecível para o sonhador Jorge e caíra as vestes da timidez.

A partir daí Jorge tomou gosto e o caderno ganhou novas cópias. Era sempre procurado todas as vezes que o grupo se reunia para cantar músicas do momento. Um sinal do fã-clube que começava o brotar.

Vieram as festas do colégio. Não poderia mudar a estrada que o destino havia lhe preparado. Matriculou-se na escola de música do município, onde chegou a fazer parte da filarmônica. Esses ensinamentos e o aprimoramento das lições de músicas em muito iriam lhe ajudar futuramente em sua carreira.

Chega o início dos anos 70 e nesse clima de Jovem Guarda, criou o grupo musical The Big Boys, logo depois uma pequena orquestra de frevos e por fim um conjunto de chorinho, denominado de: Cavaco & Viola.

Separado apenas por 30 quilômetros de Caruaru, considerado um dos maiores caldeirões culturais do Brasil, conviveu com os violeiros, aboiadores, coquistas, sanfoneiros, leitores de cordel, emboladores, além dos artesanatos de palha, couro e barro, do mestre Vitalino, despertou interesse pela música regional, manancial para suas músicas e fonte de permanente inspiração. Em 1974, era aprovado em concurso para Secretaria de Transportes e Comunicações do Estado de Pernambuco e passou a trabalhar no sertão, experiência rica e marcante, que iria durar seis anos, nas regiões do Sertão Central, Moxotó, Araripe e São Francisco.

Somado a vivência acumulada e graças a sua percepção, começa a compor músicas ligadas a essas raízes. No encontro casual com o Trio Nordestino, surgiu uma grande afinidade com suas músicas, foi daí que o trio gravou: "Sapo Cururu", cadê o cururu... e "Fole de Ouro", puxe o fole Januário... uma homenagem ao pai de Luiz Gonzaga, em seguida, "A Separação", ninguém quer sofrer... "Forro Quentão", é o forró quentão... "Amor Demais", amor como o nosso eu tô pra ver... "Chamego Proibido", eu quero ser seu amor... "Mané Gambá", com Luiz Gonzaga e o clássico Petrolina- Juazeiro, que além do Trio Nordestino, foi gravada por Alceu Valença, Geraldo Azevedo, Elba Ramalho e outros.

Seu primeiro disco seria gravado em 1980, pela Emi-Odeon, com 12 músicas de sua autoria. O sucesso surgiria em 1982, quando gravou o seu segundo álbum, o antológico disco do chapéu, que, por ter sido prensado o vinil em uma fábrica e a capa em outra, o disco chegou primeiro e a repercussão foi tamanha que as pessoas levavam o disco para depois pegar a capa na loja. Alguns improvisaram a capa com cartolina, o que lhe valeu destaque e um fato curioso: ter sido o primeiro artista brasileiro a vender discos sem as capas.

Com mais experiência, lança em 1983, o disco Canto Livre, que trazia como grande novidade elementos novos para a reoxigenação do forró. Uma vez que o famoso Jackson do Pandeiro já havia experimentado o clarinete e Luiz Gonzaga o piston. Como tinha formação musical filarmônica e ouvindo a orquestra do maestro Camarão, de Caruaru, resolveu resgatar a cultura interiorana que são as filarmônicas que geralmente se apresentam nas festas das igrejas interioranas acompanhando procissões, eventos cívicos, etc. Dessa fusão, adicionou o sax, o piston e trombone, a sanfona, triângulo e zabumba, instrumentos básicos que compõem a música nordestina. Assim, sem perder a originalidade ele foi pioneiro em introduzir os metais no forró.

A partir daí foi contratado pela RCA Victor, hoje BMG Ariola, onde ficou por 10 anos e gravou 16 discos, passando por algumas gravadoras como: Emi-Odeon, Sony, RGE, Paradox e Warner Continental etc.

Ao longo de sua carreira ganhou o respeito e a estima de muitos amigos, como o saudoso Chacrinha, que o convidou a participar de dezena de programas, resultando em vários discos de ouro e o carinho de colegas a exemplo de Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Alcione, Raimundo Fagner, Zé Ramalho, todos com participações especiais em seus discos.

Hoje, com 41 álbuns entre vinis e CD's, o artista reúne uma invejável bagagem musical, pois percorreu todo o Norte e Nordeste Brasileiro, cantando e encantando em clubes, exposições, festas de padroeiros, vaquejadas, aniversário de cidades, sempre com o mesmo entusiasmo do início da carreira, levando sempre uma mensagem de otimismo e um recado de amor, com a marca de seu balanço envolvente e com sua voz inconfundível.

Eis Jorge, que um dia foi de Olinda, de Caruaru, de Altinho e que hoje é do mundo, afinal, suas obras pertencem ao universo dos amantes da boa música popular brasileira. Assim é Jorge, imutável pelo talento, corajoso como o sertanejo, detalhista, exigente em sua arte e sobretudo, o cancioneiro que fez o forró ganhar o mundo.

Por: Jornalista Ronaldo Sotero / Fonte: Site Jorge de Altinho

CONTATO PROFISSIONAL

Site > http://www.jorgedealtinho.com.br

Facebook > https://www.facebook.com/jorgedealtinhooficial/?fref=ts

Instagram > https://www.instagram.com/jorgedealtinho/

 


Publicado por Dom Franklin Mano em 01/06/2018 às 00h02
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Franklin Emmanuel da Silva Mano e o site www.franklinmano.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
31/05/2018 18h39
OS INTEGRANTES DA VERSARES DEIXAM AQUELE ABRAÇO PRA VOCÊS...

“A Discórdia e a Redenção” é o mais novo trabalho de estúdio da Versares. O EP, segundo da banda, traz cinco faixas inéditas e foi gravado no Estúdio Fusão por Thiago Bianchi (Noturnall e Ex-Shaman), a Versares apresenta, além do novo EP, uma nova formação e novo show para 2018.

Formada em 2011, composta por integrantes influenciados por diferentes estilos musicais, tanto nacionais quanto internacionais, a Versares busca em seus trabalhos somar os melhores elementos de cada um, concretizando assim o seu formato, com um som forte e letras bem trabalhadas.

Em Abril de 2012 a banda lançou seu primeiro trabalho de estúdio, o EP “Velhas Verdades”, que contém 4 faixas mostrando a concepção musical da banda. Após o lançamento, passaram a se apresentar pelo estado de São Paulo com um show composto pelo trabalho apresentado no EP, além de outras músicas próprias e algumas versões de grandes sucessos do rock, passando por diversas cidades e fazendo inúmeras apresentações.

Em Maio de 2013 a Versares lançou o seu primeiro clipe, o single “Meio-fio”. O clipe foi lançado no showlivre.com e teve grande repercussão.

A Versares já tocou nas programações da 89 A Rádio Rock e Kiss FM, as principais rádios do segmento em São Paulo, e também já dividiu o palco com importantes nomes do rock nacional de diferentes gerações, como Ira!, Vespas Mandarinas, Vivendo do Ócio, Dead Fish, Inocentes, dentre outras, e tem conquistado o público por onde passou.

Após se apresentar em diversas cidades entre 2011 e 2013, em sua primeira fase, a Versares tirou o pé da estrada no fim de 2013 para seus integrantes darem sequência em outros projetos, profissionais e pessoais, e voltou a estrada no segundo semestre de 2015, sendo atração de um dos principais palcos da primeira edição da Osasco Cultural, maior evento cultural da região Oeste de São Paulo.

CONTATO PROFISSIONAL

Facebook > https://www.facebook.com/versares/

Instagram > https://instagram.com/www.instagram.com/versares

Youtube > https://www.youtube.com/user/versaresrock

Telefone > +55 (11) 96063-4086

 

 


Publicado por Dom Franklin Mano em 31/05/2018 às 18h39
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Franklin Emmanuel da Silva Mano e o site www.franklinmano.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
31/05/2018 07h54
ROD SPLATER DA HAWAKE DEIXA AQUELE ABRAÇO PRA VOCÊS...

A HAWAKE foi fundada em meados de 2006 pelo guitarrista Fábio Botelho, cujo nome parte de uma reflexão filosófica, representada pela união da letra H (human) com a palavra awake (acordar), ou seja, “o acordar do homem”. Um acordar constante, que o leva para bem ou para o mal, a depender de suas próprias atitudes e decisões, cabendo a ele escolher trilhar para o céu ou para o inferno.

Embora fundada em 2006, a banda apenas foi se estabilizando em 2007, com a chegada do vocalista Rod Splater, que passou a integrar a banda após ter sido encontrado casualmente por seu velho amigo, o baixista Alexandre Negreiros (ex-Hawake). A chegada de Rod Splater para o grupo possibilitou ao guitarrista Fábio Botelho fixar uma parceria única para composição, devido ao entrosamento nato de ambos e pela facilidade de Rod Splater em criar melodias vocais marcantes.

Já em 2016, chegou para compor a banda o baterista Thiago Leão, trazendo consigo uma brasilidade rítmica aliada a técnica. Dois anos depois, chegaram à banda Miguel Pinheiro, com suas composições repletas de timbres modernos e idéias classicistas setentistas, e o baixista João Almeida, com seu groove e versatilidade.

Por fim, ao longo dos anos, a HAWAKE já foi convidada a realizar os seguintes pré-shows: Shaman (2007), Sepultura (2007), Torture Squad (2008), Viper, Subtera, Suprema e Angra. Também tocou em noite de autógrafos da banda Torture Squad e do vocalista Edu Falaschi (Angra e Almah), baterista Marcelo Moreira (Circle II Circle, ex-Almah), Angra (2015) e show internacional em George Town (Guiana Inglesa) – Halloween Party.

Em 2018 a banda está com seu primeiro álbum: DUALITY OF THE UNIVERSE,  já disponível nas plataformas digitais! O álbum foi gravado e produzido no estúdio FUSÃO do Produtor e Vocalista Thiago Bianchi (Noturnall e Ex-Shaman). A arte foi feita por Carlos Fides, conceituado artista brasileiro de grande reconhecimento nacional e internacional. O trabalho inclui 10 faixas de puro Hard Metal que permitem ao ouvinte experimentar uma variedade de emoções, seja ouvindo sozinho com o fone de ouvido, ou curtindo nos shows da banda! Cada música tenta explorar o máximo da versatilidade e habilidade dos integrantes da banda. Seguindo o estilo Hard Metal Progressivo, a banda Hawake é uma excelente pedida para fãs de Dream Theater, Iron Maiden , Black Sabbath e Dr sin.

CONTATO PROFISSIONAL

Facebook > https://www.facebook.com/hawake.band/?ref=page_internal

Instagram > https://www.instagram.com/hawakeband/

E-mail > hawakeband@gmail.com

Telefone > +55 92 8124-5413

 

 


Publicado por Dom Franklin Mano em 31/05/2018 às 07h54
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Franklin Emmanuel da Silva Mano e o site www.franklinmano.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
29/05/2018 16h50
HEVERTON CASTRO DEIXA AQUELE ABRAÇO PRA VOCÊS...

Heverton da Silva Castro nasceu em 30 de março de 1982, na Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Em 2010/2011 participou do programa da Rede Record ÍDOLOS, ficando no top 20.

Em 2010 fez um teste despretensioso para um reality show da Jennifer Lopez, Marc Anthony e Jamie King, programa chamado Q'VIVA THE CHOSEN. Foi escolhido dentro todos os cantores brasileiros que fizeram o teste, viajou para Los Angels para representar o seu país no Reality, cantou para Jennifer Lopez e com o seu carisma a contagiou para cantar parte de uma música de sua autoria, "uma energia incredível". Ficou entre os 4 melhores de toda América latina no Reality Q'viva The Chosen, que foi televisionado nos Estados Unidos da América e em toda América Latina. Devido ao programa viajou para o Peru e Equador para uma turnê com a banda THE CHOSEN.

Em 2013 participou do programa da Rede Globo THE VOICE BRASIL onde foi semifinalista, mas o grande detalhe foi que o cara entrou no programa com uma música autoral que sempre foi seu ponto forte, devido à sua personalidade.

Ganhou 4 festivais de bandas no cenário carioca (Rio de Janeiro), em um desses Festivais ergueu uma estatueta de melhor intérprete.

Atualmente faz em média de dois a quatro shows por semana por todo Brasil e está gravando seu mais novo CD “DIA E NOITE” que conta com 13 músicas entre elas uma releitura.

CONTATO PROFISSIONAL

Instagram > https://www.instagram.com/hevertoncastro_/?hl=pt-br 

Facebook > https://www.facebook.com/Heverton-Castro-1423583897855677/ 

Telefone > +55 21 99942-1100

 


Publicado por Dom Franklin Mano em 29/05/2018 às 16h50
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Franklin Emmanuel da Silva Mano e o site www.franklinmano.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Página 6 de 78 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]


Imagem de cabeçalho: jenniferphoon/flickr