Meu Diário
14/12/2017 20h57
ANTONELLA DEIXA AQUELE ABRAÇO PRA VOCÊS...

QUEM É ANTONELLA?

"E é assim que é". Antonella. Nome forte. A cantora tem a vivência das ruas. Foi prodígio de Santa Maria, interior do Rio Grande do Sul. Iniciou sua jornada cantando em Festivais de Música Gaúcha, aos 12 anos. Cresceu. É mulher moderna, que detona, que canta POP e dança. Boa não. THE BEST! ANTONELLA tem (muita) PERSONALIDADE e é focada no sonho.

RESUMO DA CARREIRA

2004 - Mudou-se para a capital gaúcha, Porto Alegre, para cantar em bailes, nas chamadas: bandas-bailes.

2011 - Mudou-se para o Rio de Janeiro e começou a cantar em pequenos espaços, como barzinhos e quiosques da Orla de Copacabana. Cantou MPB, e até mesmo SAMBA, em rodas de samba da Zona Sul carioca.

2012-2015 - Migrou para as Artes Cênicas. Como atriz, fez algumas peças de teatro e musicais. Aproveitou esse período para aprimorar técnicas de interpretação para seus shows.

2016 - RETOMADA DA CARREIRA DE CANTORA, com DJ e dançarinos.

CURIOSIDADES

Antonella Canta e Dança, mas também é musicista. Aprendeu a tocar violão, guitarra, bateria, saxofone e até foi integrante de bateria de escola de samba, tendo um repique de mão. Ama instrumentos de percussão. Ela já cantou em todos gêneros musicais possíveis. Prefere o POP e interpretou músicas nacionais e internacionais. No entanto, já cantou com muita competência MPB, samba, pagode, pop, pop rock e até ópera.

Antonella tem grande carinho pela música brasileira. Possui oito carnavais em seu currículo. Tem como artista referência aqui no Brasil, “Ivete Sangalo”. E internacionalmente, a cantora “Beyoncé”.

CONTATO PROFISSIONAL

Site > https://sites.google.com/view/cantoraantonella

Facebook > https://www.facebook.com/AntonellaOficialMusic/

Youtube > https://www.youtube.com/channel/UCoibTUTPblfDte1LeBQ9hvg

Instagram > https://www.instagram.com/cantoraantonella/ 

 

 


Publicado por Dom Franklin Mano em 14/12/2017 às 20h57
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Franklin Emmanuel da Silva Mano e o site www.franklinmano.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
12/12/2017 18h11
CÍCERO PESTANA DA DR. SILVANA & CIA. DEIXA AQUELE ABRAÇO PRA VOCÊS...

Dr. Silvana & Cia. é uma banda brasileira de rock, formada em Rio de Janeiro, capital do estado de Rio de Janeiro.

A banda Dr. Silvana & Cia. foi formada em 1984 por Ricardo Zimetbaum, Cícero Pestana, Jorge Soledade e Edu Lissovsky, no Rio de Janeiro. Suas músicas ficaram conhecidas nacionalmente pelas letras bem-humoradas e de duplo sentido.

Lançou um compacto pela CBS em 1984, Eh! Oh!, e um LP pela mesma gravadora no ano seguinte, intitulado Dr. Silvana & Cia. Duas músicas do disco transformaram-se logo em hit: "Serão Extra" e "Taca a Mãe pra Ver se Quica".

Em 1985, a Dr. Silvana & Cia. participou da coletânea Que Delícia de Rock, também lançada pela gravadora CBS. Em 1987 é lançado o segundo álbum, Tide. Já no ano de 1989, o grupo lança o seu terceiro álbum: Ataca Outra Vez, agora pela gravadora RGE.

No ano de 1993 é lançado o quarto álbum do grupo, A Vingança, não tendo a mesma repercussão que seus álbuns anteriores.

Em 2005, é lançado o álbum Choco, Choco, Chocolate.

Em 2015 gravaram no Rio de Janeiro um DVD comemorativo de 30 anos de carreira, ainda em fase de produção.

Atualmente, a banda conta com nova formação e se apresenta em todo o Brasil em eventos próprios ou festas dos anos 1980.

INTEGRANTES ATUAIS

Cícero Pestana (guitarra e vocal)

Vagner Beraldo (baixo)

Maurício Mello (bateria)

EX-INTEGRANTES

Ricardo Zimetbaum (voz e vocal) - seguiu carreira solo após sair da banda

Jorge Soledade, "Zulu" (baixo) - faleceu em 27 de maio de 2010, de insuficiência respiratória depois de uma operação de aorta no Hospital Pedro Ernesto, em Vila Isabel

Edu (bateria)

Marco Mibach (bateria)

DISCOGRAFIA

Compactos

Eh! Oh! - Epic Records/Discos CBS (1984)

Serão Extra (Ela Foi Dar Mamãe) - Epic Records/Discos CBS (1984/1985)

Álbuns de estúdio

Dr. Silvana & Cia. - Epic Records/Discos CBS (1985)

Tide - Epic Records/Discos CBS (1987)

Ataca Outra Vez - Discos RGE (1989)

A Vingança - Discos RPG (1993)

Choco, Choco, Chocolate - Selesom (2005)

Coletâneas

Que Delícia de Rock - Epic Records/Discos CBS (1985)

Pop Rock - Volume 1 - Epic Records/Discos CBS (LP/cassete: 1990); Columbia Records/Sony Music (CD: 1998)

Pop Rock - Volume 2 - Epic Records/Discos CBS (LP/cassete: 1990); Columbia Records/Sony Music (CD: 1998)

CONTATO PROFISSIONAL

Facebook > https://www.facebook.com/Dr-Silvana-Cia-247511958612143/

Telefone > +55 21-98515-7150 Ribamar

Telefone > +55 24-98818-8264 Coelho

Telefone > +55 21-98000-9933 Vaggner

 

 


Publicado por Dom Franklin Mano em 12/12/2017 às 18h11
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Franklin Emmanuel da Silva Mano e o site www.franklinmano.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
12/12/2017 12h32
XIQUINHO MENDES DA PEDRA LETÍCIA DEIXA AQUELE ABRAÇO PRA VOCÊS...

PEDRA LETÍCIA - Quem Somos?

Com 12 anos de estrada completos em 2017, a banda Pedra Letícia começou em Goiânia com seu pop rock irreverente e malicioso. Com mais de 40 milhões de acessos no YouTube, muitos CD’s, alguns DVD’s e participações marcantes em programas de TV, a banda ganhou o concurso Garagem do Faustão, da Globo. Desde então, a Pedra já agitou plateias em 20 estados brasileiros, em mais de 450 shows.

Formada por Fabiano Cambota nos vocais, Pedro Torres na bateria, Kuky Sanchez no baixo e Xiquinho Mendes na guitarra, a Pedra Letícia empolga seu público com hits como “Ela Traiu o Rock’n Roll”, música de Fabiano Cambota com o humorista Danilo Gentili, “Teorema de Carlão/Pega uma Baranga”, “Como que ocê pôde Abandoná Eu”, “Eu Não Toco Raul”, “Funcionário do Mês”, “Caretão” e muitas outras.

CONTATO PROFISSIONAL

Site > http://pedraleticia.com.br/

Facebook > https://www.facebook.com/pedraleticia/

 

 


Publicado por Dom Franklin Mano em 12/12/2017 às 12h32
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Franklin Emmanuel da Silva Mano e o site www.franklinmano.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
06/12/2017 23h31
OS INTEGRANTES DA BRASAS DO FORRÓ DEIXAM AQUELE ABRAÇO PRA VOCÊS...

Tudo começa quando Didi resolve inovar a maneira de fazer forró, criando um novo estilo, um pouco diferente do que já era tocado pelas bandas de forró eletrônico da época, como o xote e vaquejada da banda Mastruz com Leite e o forró romântico das bandas Limão com Mel, Calcinha Preta e Magníficos. Uma nova batida, um pouco mais acelerada, mesclando elementos nordestinos com os ritmos gaúchos fandango e vaneirão, criando assim o "forronerão" uma nova identidade para o forró, que se tornaria a marca registrada da banda. O primeiro álbum foi gravado no ano de 1997, intitulado "Calorão", tendo à frente os vocalistas Toca do Vale, Ventura Neto e Marileide.

Em 1998, a banda grava seu segundo álbum, intitulado "Belo Cinquentão no Vaneirão" e começa a ser reconhecida pelo nordeste do país. O bordão "Puxa o fole Didi", criado pelos vocalistas da banda, já era uma marca registrada em seus shows.

No início de 1999, é gravado o álbum "Forronerão", em parceria com Gaúcho da Fronteira, pela gravadora Warner Music, fazendo com que a banda ganhe projeção nacional. Ventura deixa a banda e entra Zé Airton.

No mesmo ano a banda gravou o seu quarto CD, intitulado "Super IV". Tal disco renderia a banda o Disco de Ouro, pela simbólica venda de mais de 100.000 cópias. Este álbum, trouxe em especial, algumas das canções mais conhecidas da banda, como "Todo Tempo É Pouco Pra Te Amar" e "Pergunta Sem Resposta". Ainda no mesmo ano a banda grava o quinto álbum da sua carreira, intitulado "Ao Vivo I" em Fortaleza-CE. No mesmo ano, Toca do Vale se desliga da banda para seguir carreira solo.

No ano 2000 a banda grava seu sexto álbum, intitulado "Volume V", com o single "Irreverência" e o sétimo, intitulado "Ao Vivo II", com o single "Pra Recomeçar" o qual também renderia Disco de Ouro. No ano seguinte, a banda grava seu terceiro CD ao vivo, o oitavo de sua carreira. A essa altura, a banda Brasas do Forró já fazia shows em vários estados do Brasil.

Em 2002, Helio Barbosa chega pra somar aos vocais e a banda grava o CD "Ao Vivo IV". No ano seguinte, Zé Airton deixa a banda e Leandro Mendes entra em seu lugar. A banda grava o volume 10. Este álbum não teve tanta representatividade, a não ser pela canção "Coração Turista", que era interpretada pelos quatro vocalistas. Leandro Mendes e Marileide deixam os vocais da banda e entra Marli Nogueira.

Em 2004, para comemorar 15 anos de carreira, a banda grava seu décimo primeiro álbum ao vivo na cidade de São Luís, Maranhão. No mesmo ano, a banda entra em estúdio para grava o CD "Catineirão: A nova Onda do Vaneirão".

Em 2005, mais um álbum, intitulado "É Brasil". Logo após a gravação do CD, Assum Preto se desliga da banda e entram Nerivaldo e Claudio Black. Ainda em 2005, a banda lança seu décimo quarto álbum, intitulado "O Melhor de Todos os Tempos". No ano seguinte, Helio Barbosa deixa a banda e entram Junior Raidan e Wenya Araújo. A banda grava seu volume 15 e se prepara pra gravar seu primeiro DVD em Caruaru, Pernambuco. Após o lançamento do DVD, Junior Raidan, e Marli deixam a banda. Zé Airton retorna a banda e se junta a Nerivaldo, Claudio e Wenya. Com essa formação, lançam o décimo sexto álbum, ao vivo no Clube do Vaqueiro, em Fortaleza, Ceará, no ano de 2007. Neste CD, Renato Ravel, até então tecladista da banda, canta em duas faixas do disco.

Em 2008, a banda grava seu volume 17, intitulado "O sucesso que nunca acaba". Wenya se desliga da banda e entra Lince, uma velha conhecida dos forrozeiros. Didi participa da gravação do 2º DVD em Recife, Pernambuco e, depois disso, passa a se apresentar com a banda apenas em ocasiões especiais. No ano seguinte, com a queda na venda de CDs devido ao aumento da pirataria, a banda passa a gravar somente CDs Promocionais. Lince deixa a banda e entra Vanessa Ville , a qual não demora muito tempo. A direção da banda então anuncia o retorno de Wenya.

Após participar da gravação dos CDs Promocionais de 2009 e 2010, Claudio Black se desliga da banda e Paulo Bala vem para somar a Zé Airton, Nerivaldo e Wenya. Em 2011, a banda grava seu terceiro DVD em Campina Grande, Paraíba. O décimo oitavo álbum oficial é o áudio desse show. Wenya deixa a banda no ano seguinte e a direção traz Joelma Rios, ex-Caviar com Rapadura.

Em 2013 a banda inova e lança o Promocional "Brasas Elétrico" para o carnaval. No final do ano, com a saída de Joelma, entra Thays Oliveira. No ano seguinte, a banda grava seu quarto DVD em Mossoró, Rio Grande do Norte e é lançado também o CD promocional "Brasas Canta Vaquejada". Thays deixa a banda. A partir de outubro de 2014, a direção decidiu por não contar mais com a presença de dançarinas em suas apresentações.

No final do ano, a direção da empresa anuncia em suas redes sociais o retorno de Leandro Mendes. Nerivaldo deixa a banda. Entra Jack Lins, a vocalista não permanece por muito tempo e os vocais ficam apenas com vozes masculinas.

No início de 2015 contrata a cantora Michelle Torres, porém, no final do mês de junho a mesma foi demitida. No mês seguinte o cantor Leandro Mendes deixa a banda. Para completar o quadro de vocalistas a direção da banda resolveu apostar em um jovem talento. Trata-se do cantor Wesley Ribeiro.

Atualmente, a banda Brasas do Forró se prepara para a gravação do seu quinto DVD em Fortaleza-CE. O show será em comemoração aos 25 anos de carreira.

CONTATO PROFISSIONAL

Facebook > https://www.facebook.com/brasasdoforro/

E-mail > itproducoes.eventos@hotmail.com

PRODUÇÃO ALEXANDRE MÍDIAS

E-mail > alexandremidias@gmail.com

WhatsApp > +55 (85) 9 9814-2445

 

 


Publicado por Dom Franklin Mano em 06/12/2017 às 23h31
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Franklin Emmanuel da Silva Mano e o site www.franklinmano.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
06/12/2017 12h35
MARC KISKA DEIXA AQUELE ABRAÇO PRA VOCÊS...

Marc Kiska was born in France in 1983 and raised by schoolteachers in a small town close to Saint-Etienne. As an adolescent he was deeply attracted to underground culture and alternative lifestyles, romanticizing decadence and rebellion, which has deeply influenced his work. The shame, denial and confusion of being different in so many ways, including the discovery of his homosexuality, all strongly marked his world-view and values. As a quiet, introverted boy, Kiska started writing at the age of 14. In love with fantasy and the wondrous, with dreams and the inner, troubled worlds of youngsters; doubting, opposing and distrusting the hollow, grave reality of adulthood. Disillusioned by a lack of substantial mirroring and genuine ideals, he absorbed himself with the outlands of normality, a Kaspar Hauser, falling in love with Arthur Rimbaud, who promises something more, somewhere else.

Kiska wasn't ultimately satisfied by his writing, and at the age of 20, he started taking a fast growing interest in photography; discovering a whole new dimension in which he could express himself. He started off taking photos to illustrate his short stories, and he immediately connected to the lens and found great passion in this new dimension to explore and communicate his vision and inner enterprise. One of his first shoots (2004) was literally inside the walls of the City Hall of Oslo, where he worked as a cook. He discovered there small, secret passages inside some of the walls. This portrays his artistic identity, revealing itself in that space, mysterious, hidden, in between parentheses and brackets, barely sheltered from the numb and rigid, institutional charade playing out on the other side of those duplexed walls.

After 10 years of art photography he launched his book Outlandish /Room/ (2014) which got great attention in several countries. “Les vestiges d’Alice” is Kiska’s debut novel, which he first started to work on in 2009 after having focused on short stories since 2001.

EXHIBITIONS

2017 - 2007 Group Exhibitions, Skeive Kunstnere/Pride Art, Norway

2017 LES SOUFFLEURS, A la tombée des Masques, Paris, France

2017 CITY HALL OF OSLO, Group Exhibition, Oslo, Norway

2016 GENIUS, Group Exhibition, Oslo, Norway

2015 CITY HALL OF OSLO, Group Exhibition, Oslo, Norway

2015 CYAN GALLERY, Group Exhibition, Oslo, Norway

2014 AUBERGE LENTAISE, Lent, France

2014 LES MOTS À LA BOUCHE, Paris

2014 THE BLACK FAWN, Oslo, Norway

2014 POSTCARDS FROM THE EDGES, Luhring Augustine Gallery, New York

2012 ALT FOR NORGE, Galleri Vepsebolet, Oslo, Norway

2008 TORNADO, Galleri Vrangsiden, Group Exhibition, Halden, Norway

2007 Château Neuf, Oslo, Norway

2006 MS Innvik, Oslo, Norway

PROFESSIONAL CONTACT

Website > http://marckiska.com

E-mail > contact@marckiska.com

 

 


Publicado por Dom Franklin Mano em 06/12/2017 às 12h35
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Franklin Emmanuel da Silva Mano e o site www.franklinmano.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Página 3 de 62 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr